fbpx

Newsletters

KPI Talks: Todo mundo sabe tudo, menos isso

Não quero ter ganhos rápidos, os mercados se ajustam, prefiro a consistência do tempo…hoje escrevo do escritório, ar condicionado ligado nos 21 graus, Bloomberg no mudo, som de meditação e essa história na cabeça…

Se escolheres o prazer, conscientiza-te que atrás dele há alguém que só te trará atribulações e arrependimento. (Leonardo DaVinci)

Pois é, a história acaba sendo a mesma…

Esperto: Comprei XXXX3, XXXX3, XXXX3, ganhei uma nota.

Desprovido de tanta inteligência: Fico feliz, mas me preocupo.

Veja só:

Na minha cabeça investidor não pensa assim, ele não quer ter ganhos rápidos…seria uma espécie de prelúdio do fracasso.

Me acompanha:

Quando você vê o dono de empresa falando que este mês ganhou muito dinheiro e que já está pensando em comprar mais uma ou duas empresas físicas este mês para ganhar mais?

Na minha humilde opinião, talvez platônica, todo o sócio deve pensar como dono, e todo investidor de longo prazo deve querer ser sócio…logo…


Algumas semanas atrás ví algo que pode ser muito promissor no LP e escrevi para você.
Ontem isso aconteceu. E hoje algumas ações já superaram os 15% de ganho,
Isso é para aquela pequena parcela de crescimento na sua carteira. Até onde vai chegar?


O sócio da vida real tem ônus e bônus, que é o que você aprende quando vai empreender.

De um lado o paycheck largo e uma obrigação contratual, a lá Rousseau, com horas de trabalho e de outro, o ônus de pagar pela xícara do cafezinho que não foi você quem quebrou, mais o bônus de receber um dividendo no final do mês, quando dá lucro… essa é a história do empresário, de todo e qualquer porte.

Quem já conheceu um bilionário sabe, a xícara quebrada tem o mesmo preço.

O Brasil que eu quero tem empresas com dividendos com crescimento gradual e constante. Chega de vai e vem.

Quanto maior é o ganho, maior o risco de ruína se a exposição de carteira não é bem pensada. pois eles existem, mesmo sendo menos frequentes, muitas vezes eles tem efeito devastador, dependendo da sua exposição, desaparece o investidor.

Veja bem, aí todo o ganho vira dor e o ânimo vira sofrimento.

Não vejo graça em falar de ganhos de curto prazo, os investidores menos preparados contam os ganhos, os mais longevos aproveitam os momentos para ajustar a sua posição.

Qual é tamanho do risco?

Assim vive o especulador.

Um abraço,

Marcelo